Chevrolet Silverado, Ford F-150 e outras 6 caminhonetes serão lançadas no Brasil até 2023

Segmento que vendeu mais do que hatches compactos e sedãs promete deslanchar nas vendas com, pelo menos, oito novidades até o ano que vem.

Antes vistas como veículos de trabalho, as picapes caíram no gosto dos brasileiros que também querem um modelo para o lazer. De 2017 para cá, a participação das caminhonetes no mercado tem crescido ano a ano, com exceção de 2019. Em 2021, atingiram uma marca considerável: 18,15%. Isso significa que quase um a cada cinco veículos vendidos no país é picape.

No ano passado, elas tiveram mais unidades vendidas do que modelos populares, hatches pequenos e sedãs. Perderam apenas para os SUVs. A mudança no comportamento do público também se reflete na estratégia das fabricantes.

Antes restrito a um pequeno número de marcas, o mercado de picapes tem se diversificado. Além dos lançamentos avaliados nesta edição, ao menos outras oito caminhonetes devem entrar no ringue do mercado brasileiro nos próximos meses.

Por outro lado, a nova geração da Volkswagen Amarok segue como dúvida para o Brasil. A picape será produzida somente na África do Sul, o que dificulta a chegada do modelo renovado ao nosso país. No entanto, a fabricante anunciou que parte do aporte de R$ 1,3 bilhões investidos na Argentina até 2026 servirão para atualizar a versão atual, que passará por “alterações no design, segurança e tecnologia.

Chevrolet Montana ficará maior e tentará roubar clientes da Toro e Strada — Foto: Autoesporte

Chevrolet Montana ficará maior e tentará roubar clientes da Toro e Strada — Foto: Autoesporte

CHEVROLET MONTANA
Categoria: peso pena
A Chevrolet quer começar a incomodar a hegemonia da Fiat com a terceira geração da Montana. Ainda em fase de testes, ela só entrará na briga em 2023, mas possivelmente será apresentada ainda esse ano. A estratégia é ficar entre Strada e Toro e tentar roubar clientes das duas. Terá visual inspirado no Trailblazer vendido na Ásia e conjunto mecânico do Tracker: motor 1.2 turbo de 133 cv e câmbio automático de seis marchas e sem opção de tração 4×4.

Chevrolet Silverado voltará ao Brasil para brigar com as grandalhonas RAM 1500 e Ford F-150 — Foto: Divulgação

Chevrolet Silverado voltará ao Brasil para brigar com as grandalhonas RAM 1500 e Ford F-150 — Foto: Divulgação

CHEVROLET SILVERADO
Categoria: peso pesado
Se a Montana vai brigar no andar de baixo, a Silverado será a lutadora no patamar mais alto. E o retorno será em grande estilo: serão duas motorizações: V8 a gasolina de 420 cv e 3.0 turbodiesel de 277 cv e duas versões: ZR2, para encarar a RAM 1500 Rebel (também V8) e High Country diesel, para rivalizar com a 2500. A GM pode levar a melhor sobre a concorrente por produzir a Silverado no México, país que tem acordo comercial com o Brasil para zerar o imposto de importação.

Ford F-150 foi confirmada para o Brasil durante o Agrishow, maior feira de agropecuária da América Latina — Foto: Divulgação

Ford F-150 foi confirmada para o Brasil durante o Agrishow, maior feira de agropecuária da América Latina — Foto: Divulgação

FORD F-150
Categoria: peso pesado
O veículo mais vendido nos Estados Unidos por mais de 40 anos finalmente chegará ao Brasil. Mas os ansiosos terão de esperar, já que a F-150 só deve dar as caras no ano que vem. Até lá, a Ford vai fortalecer a imagem da Maverick. Seguindo as estratégias de Ram e Chevrolet, a montadora apostará em versões mais caras e completas de sua caminhonete. Assim, esperam-se variantes como Platinum e Limited. A motorização favorita para o Brasil é a V6 3.5 EcoBoost de 400 cv a gasolina.

Nova geração da Ford Ranger já foi apresentada no exterior e chegará no Brasil só em 2023 — Foto: Divulgação

Nova geração da Ford Ranger já foi apresentada no exterior e chegará no Brasil só em 2023 — Foto: Divulgação

FORD RANGER
Categoria: peso médio
Confirmada para 2023, a nova geração da Ranger vai elevar o nível das picapes médias no Brasil. Se seguir o caminho adotado no exterior, é possível ter motorizações mais potentes e eficientes, como o 3.0 de seis cilindros de 284 cv e o 2.0 de quatro cilindros de 211 cv, ambos turbodiesel. Na cabine, painel digital e central multimídia de até 12 polegadas. A tela deve concentrar a maior parte das funções do veículo, o que reduz o número de botões no console central.

Jeep Gladiator deve desembarcar no Brasil até junho  — Foto: Divulgação

Jeep Gladiator deve desembarcar no Brasil até junho — Foto: Divulgação

JEEP GLADIATOR
Categoria: peso pesado
picape derivada do Jeep Wrangler é o próximo lançamento da categoria no país. Vinda dos EUA, desembarca entre maio e junho — possivelmente na versão Rubicon, a mesma do jipe mais completo vendido no Brasil. A diferença entre eles, além da caçamba, é o conjunto mecânico. A Gladiator não oferece a opção de motor 2.0 turbo a gasolina do Wrangler. As alternativas são um V6 3.6 a gasolina de 285 cv e um 3.0 de seis cilindros turbodiesel de 264 cv.

Peugeot Landtrek virá importada do Uruguai para disputar com Hilux, S10 e Frontier — Foto: Divulgação

Peugeot Landtrek virá importada do Uruguai para disputar com Hilux, S10 e Frontier — Foto: Divulgação

PEUGEOT LANDTREK
Categoria: peso médio
Apesar de a Peugeot já ter tido picapes no Brasil, ela deve enfrentar a mesma barreira que a Poer: a resistência do consumidor de caminhonetes médias. Para isso, vai contar com a força do grupo Stellantis, responsável pelas bem-sucedidas Toro e Strada. Assim, a Landtrek chega importada do Uruguai no segundo semestre com motor 2.0 turbodiesel, câmbio automático de seis marchas e tração 4×4 para disputar o acirrado segmento com S10, Toyota Hilux e companhia.

Great Wall Poer será a primeira caminhonete híbrida do mercado brasileiro — Foto: Divulgação

Great Wall Poer será a primeira caminhonete híbrida do mercado brasileiro — Foto: Divulgação

GREAT WALL POER
Categoria: peso médio
Ainda há mais dúvidas do que certezas sobre a picape da marca chinesa. A Great Wall decidiu batizar de Poer sua divisão de picapes. Em outros mercados, esse é o nome da caminhonete média da GWM. A Poer vai estrear no Brasil apenas em 2023 como uma picape média híbrida (ainda não há confirmação se será plug-in, convencional ou híbrida leve). O desafio será convencer o cliente a trocar as marcas tradicionais por uma estreante, ainda que mais moderna.

RAM 1500 Classic será a versão de entrada da picape grande e deve custar menos do que a 1500 Rebel  — Foto: Divulgação

RAM 1500 Classic será a versão de entrada da picape grande e deve custar menos do que a 1500 Rebel — Foto: Divulgação

RAM 1500 CLASSIC
Categoria: peso pesado
Não satisfeita em vender a nova geração da 1500, a RAM vai lançar a versão anterior, produzida no México e ainda oferecida em outros mercados. Acompanhada do sobrenome Classic, ela deve ajudar a marca a reforçar a operação nacional. Chega no meio do ano com motor V8 5.7 de 395 cv. Outros conjuntos não estão descartados. A RAM ainda não confirmou versões e preços, mas certamente vai custar menos que os R$ 460 mil cobrados pela 1500 Rebel.

Fonte: Autoesporte

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.